Livros lidos em 2017

A vida de uma jovem mãe é corrida, principalmente quando se reassume a vida profissional. O pouco tempo que sobra, depois de ficar fora de casa por quase 10 horas, é dedicado aos cuidados com a casa e com a cria. Assim, as leituras acabaram ficando em segundo plano, desde 2015, quando minha principal obra veio ao mundo.

Nesse ano de 2017 me propus a ler pelo menos uma página antes de dormir, para atingir a minha meta, simplória, porém um pouco mais realista do que as metas anteriores, de ler pelo menos 12 livros durante o ano de 2017. Estamos concluindo o terceiro mês do ano e tenho duas leituras concluídas, o que me dá um déficit de um livro. Mas se conseguir ler “Todos os Contos”, de Clarice Lispector, esse terá valido por pelo menos dois livros!

Mas antes de me desesperar, vamos as resenhas até o momento:

– Amor à moda antiga, de Fabrício Carpinejar
– Simples Assim, de Martha Medeiros. (Em breve)

Os próximos da lista são:

– O inverno e depois, de Luis Antonio de Assis Brasil
– Todos os Contos, de Clarice Lispector
– Vinte e um, de Daniel Galera

Não necessariamente nesta ordem, mas ficarei feliz se conseguir ler estes até agosto de 2017.

Anúncios

Livros, livros e mais livros!

Ontem foi meu aniversário e…como de costume, ganhei LIVROS! Acho que ainda não comentei aqui, mas como colecionadora de livros, estes são presentes sempre bem vindos, em qualquer época do ano. Como alguns amigos manifestaram uma certa dificuldade em saber qual livro me presentear, resolvi fazer uma lista básica de desejos, para facilitar a vida de quem quiser me fazer uma surpresa, em algum momento do ano, lembrando que estou sempre aberta a mimos e regalos, principalmente em se tratando do mundo literário.

Prometo ir atualizando a medida em que for ganhando ou comprando esses livros!

  • Geração de Valor 2 – Flávio Augusto Silva
  • Me ajude a chorar – Carpinejar
  • Um novo amanhã – Nora Roberts
  • Barba ensopada de sangue – Daniel Galera
  • Doze contos peregrinos – Gabriel Garcia Marquez
  • Todos os contos – Clarice Lispector
  • Mais forte do que nunca – Brené Brown
  • Acorde para vida – Marcelo Cezar
  • Voltas que a vida dá – Zíbia Gasparetto

Os livros que ganhei este ano foram:

23/04 – Dia Internacional do Livro

23-de-abril-dia-internacional-do-livroAmanhã, dia 23 de abril, comemora-se o Dia Internacional do Livro! Pensei em várias coisas para escrever sobre isso, desde a história de porque esse dia foi escolhido como Dia Internacional do Livro, até em brindes para oferecer aos leitores para comemorar essa data.

Então, na dúvida de qual opção seria a melhor, resolvi fazer as duas. Primeiro, um pouco de história, depois o brinde!

Segundo a Wikipedia, o Dia Internacional do Livro começou a ser comemorado na Espanha, no dia 06 de abril, data de aniversário do escritor espanhol, Miguel de Cervantes. Em 1930, foi transferido para o dia 23 de abril, que marca a data do falecimento de Cervantes (eu particularmente preferia continuar comemorando no dia 06/04, pois é muito mais legal comemorar uma coisa boa, como o livro, no dia do aniversário, e não no dia da morte de alguém, mas, quanto a isso, nada podemos fazer).

Enfim, comemoremos então a morte de grandes escritores exaltando suas obras e feitos pela literatura mundial. O dia 23 de abril também é uma possível data para a morte de Shakespeare, com uma margem de erro de 10 dias, em função da divergência entre os calendários utilizados na Grécia e na Inglaterra. De qualquer forma, em homenagem a outros autores que tiveram seu aniversário de morte em 23/04, em 995 a UNESCO instituiu essa data como o Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor.

E para comemorar esta data, resolvi manter o preço promocional do Livro 30 Primeiras Vezes. Quem adquirir o pdf com a obra até o dia 30/04 pagará apenas R$ 17,90, por um livro de crônicas divertidas, de fácil leitura e, ao mesmo tempo, poderosas, que farão vocês repensarem sobre o como e o porque fazemos as coisas diariamente e porque não as fazemos.

Para adquirir, basta escrever uma mensagem inbox na página do Livroterapia no Facebook, ou ainda mandar um e-mail para cristiane.snetto@gmail.com. Assim que receber o contato, encaminho os dados para depósito e, confirmado o pagamento, o livro será enviado em pdf. para o email fornecido. Lembrando que o preço original do livro é de R$ 25,00! Portanto, aproveitem para adquirir com esse super desconto!

Não esqueça! 30 Primeiras Vezes em promoção por R$ 17,90!

capa do livro

Capa d

 

 

 

 

100 Livros da vida – Parte II – Adolescência

confissoes-de-adolescente-1419160980.184x273

Estamos falando aqui do final dos anos 90, beirando o ano 2000, com idade entre treze e dezessete anos. Não da adolescência de hoje em dia que inicia aos 08 anos!

Nessa época, além das leituras obrigatórias para o colégio, estava fissurada nos romances dramáticos da Danille Stell. Recapitulando sua bibliografia agora, para escrever este post, lembro de ter lido pelo menos cinco livros dela:

11. Agora e Sempre
12. Tudo pela Vida
13. Relembrança
14. Jóias
15. Um só vez na vida.

Destes, o que mais gostei foi o Relembrança. Deixo aqui uma resenha que encontrei na internet, pois obviamente não me lembro da história com riqueza de detalhes para resenhar aqui. Mas lembro ser o enredo típico da Danielle Steel, uma mocinha, uma tragédia atrás da outra, até a reviravolta e o encontro do amor eterno. Para quem gosta de romance com muito açúcar e muitas lágrimas, recomendo qualquer um dos livros da Danielle. Ela é ótima na descrição dos cenários e na caracterização psicológica das personagens.

Além da Danielle, também li alguns livros do Paulo Coelho.

16. Nas Margens do Rio Piedra, eu sentei e chorei
17. Brida
18. As Valquírias
19. Maktub

Bom, o que dizer sobre isso? Eu tinha meus 15, 16 anos, achava-o interessante, mas nunca concordei com o fato dele ter ocupado uma cadeira na Academia Brasileira de Letras. Destes que li, o único que me lembro bem é o Maktub, um livro pequeninninho, de capa dura azul e grafado em dourado. Na verdade nem deveria contar nesta listagem, pois se trata de uma coleção de pensamentos extraídos de outras obras do autor. Através das frases, dá vontade de ler um ou outro livro. Foi assim que cheguei até o “Nas margens do Rio Piedra eu sentei e chorei”. Hoje em dia não leio nem leria mais Paulo Coelho, porque a gente evolui, até com o que de ruim se lê por aí, mas naquela fase da vida, quando a fantasia reinava, eu gostava dos seus romances bobinhos. Como agora eu não gosto mais dele, não saberia para quem recomendar.

Além desses autores, dissecados em mais de um livro, ainda lembro de ter lido e gostado muito do “Confissões de Adolescente” (20), da atriz Maria Marianna e do “Feliz Ano Velho” (21), do Marcelo Rubens Paiva.

O “Confissões de Adolescente” depois virou peça de teatro e mais recentemente série para a TV e filme. São trechos do diário da atriz, onde ela  conta os sabores e os desamores de sua adolescência, com um “Q” de irreverência que qualquer adolescente certinha invejaria. Divertido, real e sempre atual, aborda temas como amizade, sexo, drogas e relacionamento com os pais.

Já “Feliz Ano Velho” foi uma leitura mais adulta, que fala sobre o acidente que o autor sofreu aos 20 anos, ficando paraplégico. Além do drama pessoal, a temática da ditadura no Brasil também aparece e por isso acabou sendo indicado como leitura de estudo em muitas escolas, inclusive na minha. Foi um livro que eu lembro ter me marcado, pois unia história real, drama, romance e um pouco de aventura, coisas que me agradavam muito.

Assim como na infância, com certeza li outros, mas vamos ficar com estes, que foram os mais marcantes.

Até mais, quando ingressarei na fase adulta!

LivroTerapia – Encontrando o alento necessário através de letras, sons e sentimentos.

livro que cura

Hoje não vim aqui escrever sobre nenhum livro específico, mas sim, sobre o ato de ler em si. O propósito inicial do blog era “prescrever” livros que poderiam auxiliar nos mais diversos estados da alma humana. Por exemplo, o livro “Mulheres, Comida e Deus”, de Geneen Roth, foi “prescrito” aqui em 2011, para mulheres que, durante anos, tiveram problemas com seu corpo, seja por obesidade ou outros distúrbios alimentares. Esse foi fácil prescrever, pois o título já era quase como um Benegripe, que todo mundo sabe, ser bom para resfriados.

Eu acredito que todo livro nos transforma, seja em uma proporção menor ou maior, mas alguma coisa em nós se modifica a partir do momento que lemos a última frase de um bom livro. Assim como acredito que um mesmo livro pode atuar de diferentes maneiras nas pessoas. Porque cada um sente uma dor, uma necessidade específica, sabe onde o sapato aperta.

Prescrever um livro para alguém vai além de uma indicação. É olhar para o livro e lembrar o que as palavras contidas naquelas páginas fizeram no teu íntimo. Ao lê-las você se sentiu mais autoconfiante ao se entregar para a vida, sabendo que ela poderia acabar a qualquer momento, como a Hazel Grace, em “A Culpa é das Estrelas?”. Entendeu que nossa história enquanto seres de luz e amor não começou e nem terminará nessa vida, como a Carolina, em “A Fascinante Vida de Mirta Kassov”? Percebeu o quanto de vida estamos perdendo fazendo aquilo que não faz nossos olhos brilharem, quando concluiu a leitura dos “12 Lições para Renovar a Vida”, da Juliana Garcia? Estes são livros que eu prescrevi ou que prescreveria. Mas existe uma infinidade de conhecimento guardada em prateleiras espalhadas por aí,  que, apesar de não terem prazo de validade, como os remédios tradicionais, estão sem serventia, enquanto outra infinidade, agora de pessoas, fica se debatendo a procura de soluções para suas imperfeições.

Em uma campanha de compartilhamento de livros realizada pela PUCRS, surgiu o slogan “Livro foi feito para caminhar” e esse é um pouco do sentimento desse novo projeto, que começa a surgir agora, o LivroTerapia. A ideia é que toda vez que você receber o chamado para participar do programa de troca de livros, ao invés de simplesmente doar um livro e pegar outro, que você o prescreva, de forma objetiva e sincera, guiando o próximo leitor para aquilo que ele realimente precisa, mesmo que ainda não saiba. A primeira edição do LivroTerapia ocorrerá no próximo dia 30, como parte integrante da programação do evento Descobrindo a Casa Liberdade #3 (inscrições aqui). Todos que quiserem participar, deverão levar um livro para doação e no local haverá pequenos “receituários” para que se possa fazer a prescrição. Todos são livres para prescreverem o que quiserem, e se não quiserem escrever nada, também não tem problema, desde que seja mantido o princípio da troca. A ideia é que o projeto seja itinerante e constante, ou seja toda vez que houver um evento que reuna pessoas interessadas na coletividade, que se monte uma barraquinha do LivroTerapia. É o blog saindo da Internet e ganhando vida nas ruas. Retrocesso ou avanço? Não sei, mas fazendo o bem, que mal tem?

Até lá!