“Treinando a Emoção para ser feliz”- Augusto Cury

Pois bem, cá  estamos nós, eu e meus livros, os meus e os emprestados, pois nessa jornada rumo ao descobrimento de mim mesma, tenho alguns aliados que me ajudam a despertar o lado que desconheço, ou reviver aquele que eu conhecia quando criança e que as dificuldades da vida adulta fizeram com que eu escondesse cada vez mais longe do meu alcance: no cantinho mais fundo da minha alma. Enfim, este post é para falar do Cury, não de mim…

Vamos lá: Este livro de Augusto Cury pode ser considerado, na minha opinião, evidentemente, um clássico livro de autoajuda. Do início ao fim ele diz e repete que somos vencedores, que somos especiais, únicos e insubstituíveis perante o amor de Deus.

Até a metade do livro, enquanto ele transmite ensinamentos úteis e importantes sobre o treinamento necessário de nossas emoções, ele é maravilhoso! Mas a partir do capítulo V, quando ele compara seus ensinamentos com a vida e o comportamento de Jesus Cristo, por considerar que a vida Dele representou na prática tudo o que hoje ele prega como treinamento da emoção, o livro fica um pouco repetitivo e fantasioso demais. Para compreender a fundo os capítulos seguintes são necessários dois pré-requisitos: acreditar em Jesus Cristo e, vivenciar Seus ensinamentos; ou ser uma pessoa muito aberta e interpretar as opiniões do autor como elas são: opiniões e interpretações da realidade e não a realidade em si.

Em termos de avaliação: diríamos 03 estrelas.

PRESCRIÇÃO: Esse livro é com certeza indicado para aquelas pessoas que estão passando por problemas de autoestima. O autor conta histórias de um jeito lúdico e cativante que desperta em nós sentimentos bons, de vitória e superação. Por mais ingênua que seja a história da “corrida pela vida”, é difícil não se pegar rindo e dizendo para si mesmo: “Nossa, eu realmente fiz isso?” “Nunca tinha pensado dessa forma.” Enfim, uma verdadeira injeção de ânimo em todos que se sentem tristes, deprimidos e desvalorizados.