Agora o Livroterapia está no Facebook

Uma passadinha rápida para um informativo importante!

O Livroterapia agora tem perfil no Facebook! A ideia é que o blog receba mais visibilidade e, também, que seja mais uma forma de os amantes de livros interagirem comigo. Adoraria receber dicas de livros, comentários sobre meus posts, sugestões de livros e qualquer outra forma de interação, lembrando que esse é um canal sobre livros e emoções por eles causadas.

Sintam-se todos convidados a curtirem a página e compartilharem com outros booklovers!

Boa semana e boas leituras!

 

 

Anúncios

TAG – O ano não termine até que eu leia…

Virei “telespectadora” assídua dos canais sobre livros disponíveis no You Tube. Os meus preferidos são: O Tiny Little Things, da Tatiana Feltrin e O Batom de Clarice, da Juliana Gervason. A Juliana postou recentemente um vídeo sobre os livros que ela pretende ler antes que o ano de 2014 termine. Achei interessante esse questionamento e resolvi pensar em livros que estão criando teias de aranha na minha estante e, por obra do destino, jamais foram lidos.

Afora todos os livros que hoje habitam meu criado mudo (vide relação abaixo), pretendo ler, até 1º de janeiro de 2015 um livro cuja leitura já foi abandonada diversas vezes, não por falta de vontade ou tempo, mas pelas emoções negativas que ela me desperta. O livro é “Por que sou gorda, mamãe”, da escritora gaúcha Cíntia Moscovich. Aqui mesmo no blog eu já falei dele. Ela demonstra, pelo menos nas primeiras páginas, um rancor tão grande em relação à mãe, que nunca consigo continuar na leitura. Inexplicável, por enquanto, minha relação com esse livro. Mas hoje à noite, quando chegar em casa, pretendo pegá-lo, limpá-lo e novamente tentar lê-lo. Será mais um desafio, a ser cumprido até o final do ano.

Agora, a relação dos meus livros de cabeceira, que também devem ser lidos até o final do ano:

– Prazer em Conhecer-se, escrito pela Regina M. de Azevedo.
– Os livros e os dias, escrito pelo excelente Alberto Manguel.
– A biblioteca à noite, também do Manguel.
– A graça das coisas, escrito pela Martha Medeiros.
– Admirável Mundo Novo, escrito por Adoulf Huxley.

Ainda acrescentaria: Precisamos falar sobre o Kevin e um outro do Alberto Manguel, cujo título não me lembro. Vamos ver quantos destes eu consigo terminar nos próximos dias.

E vocês, gostariam de compartilhar suas leituras que devem ser feitas até o final do ano?

Resenha – Manual para Sonhadores – voe alto, siga seu coração e vire o empreendedor de sua vida, de Natalie Trutmann

manual_sonhadores

A Natalie Trutmann é Diretora de Inovação da FIAP (Faculdade de Informática e Administração Paulista) e Embaixadora da Singularity University no Brasil. Mas, acima de qualquer coisa, é uma mulher sonhadora, comprometida em transformar as histórias de jovens através da motivação e da implementação de atividades que priorizam a evolução da educação desses jovens, mostrando a eles a importância de construírem um futuro conectado com o que sonharam desde pequenos.

Natalie Trutmann, graças a Deus, é mais uma daquelas personalidades que não satisfeitas em transformarem suas paixões em trabalham, também viajam o mundo inteiro transmitindo ideias inovadoras e de grande impacto para todos, em especial para a nossa juventude, cada vez mais carentes de líderes e pessoas de referência. Além das palestras, Natalie e a Editora Leya apresentam para o público um livro querido, fácil de ler, que trás histórias de vida da Natalie, mas que bem poderia ser a história de qualquer um, que não tendo medo, apostou naquilo em que acreditava e, mesmo tendo passado por dificuldades, não desistiu. Ela nunca deixou um sonho para trás e, mesmo quando não sabia que sonhara com determinada situação, um dia se viu realizando algo que lhe deu imenso prazer e, neste momento, soube aproveitar a gostosa sensação de reconhecer um sonho realizado.

O livro está dividido em 13 capítulos curtinhos, repletos de dicas para sonhadores, incentivando-nos a acreditarmos em nós mesmos e corrermos atrás dos nossos sonhos. No capítulo 6, “Gerenciando nossos pais e outros adultos”, a autora toca em um ponto delicado na relação pais e filhos.

Quando somos crianças, temos permissão para sonharmos e sermos tudo o que quisermos. Mas alguma coisa acontece quando saímos da infância e entramos na adolescência. Nossos sonhos passam a ser neglicengiados ou considerados absurdos. É normalmente nesta fase que somos “obrigados” a escolhermos uma profissão, que nossos sonhos sofrem a primeira grande derrota, sendo rebaixados para a 2ª divisão das nossas vidas, fazendo uma analogia com o futebol.

O interessante é que, assim como acontece com o futebol, o time que está na 2ª divisão, cedo ou tarde sobe para a primeira divisão novamente, cobrando todo o tempo perdido, ou seja, aqueles anos em que ficou amargando as derrotas e simplesmente aceitando os resultados. Segundo Natalie, quem já começa no mundo adulto e estreia na vida profissional fazendo aquilo que gosta, acaba ingressando mais cedo na fantástica jornada do autoconhecimento, ganhando uma dose de autoconfiança suficiente para construir um futuro baseado na verdade de cada um e não nas “verdades” dos outros.

Ao longo de todo o livro, há várias dicas e insights interessantes e motivadores, que elevam a qualidade do texto, descaracterizando-o como um simples livro de memórias ou contação de estórias. Vale pela linguagem descontraída, pelas sugestões de vídeos e livros e, principalmente, pelo exemplo bem sucedido de “alguém que não sabendo que era impossível, foi lá e fez”. É mais uma autora que pega carona no cometa da nova geração de empreendedores, liderados por Bel Pesce e Eduardo Lyra, aliás, os dois fazem o prefácio e apresentação do Manual para Sonhadores.

INDICAÇÃO: Para todo mundo que tem um sonho e está disposto a investir sua energia nele.

Presente: Eu encontrei o pdf gratuito do livro neste link, porém, para quem prefere o livro impresso, comprei meu exemplar por R$ 29,90 e acredito que valha a pena todos os centavos. Em breve organizarei a minha página no Skoob e vou deixar esse livro disponível para troca, se quiserem aguardar mais um ou dois dias.

Novo Desafio! 100 Livros de Literatura Brasileira! – Parte I

A Revista Bravo publicou uma lista dos 100 livros essenciais da Literatura Brasileira e a Tati Feltrin comentou sobre essa lista em um dos seus vídeos. Achei bárbara a ideia e resolvi me desafiar, a ler, até novembro de 2015, 100 livros de Literatura Brasileira. Porém, não vou seguir a risca a lista publicada pela Revista Bravo, pois acredito que grandes nomes do nosso universo literário ficaram de fora, só para citar dois: Moacyr Scliar e Lya Luft.

Então, resolvi criar a minha própria lista. Por enquanto selecionei só 10 livros. Como leio muita coisa ao mesmo tempo, se eu conseguir ler esses 10, prossigo no desafio. Alguns eu já li, mas pretendo reler, para poder estar com a história bem presente no momento de resenhar aqui para o blog. Não pretendo comprar todos, mas se durante a leitura de algum livro emprestado rolar aquela química, com certeza vou comprar! Se quiserem palpitar indicando outros autores, sintam-se à vontade!

  1. A Bela e a Fera – Clarice Lispector
  2. 1968 – O ano que não terminou – Zuenir Ventura
  3. O carnaval dos animais – Moacyr Scliar
  4. O tempo e o vento – Érico Veríssimo (São 07 volumes, então serão 106 livros!)
  5. A ferro e fogo – Josué Guimarães
  6. Perversas Famílias – Luis Antonio de Assis Brasil
  7. Aos meus amigos – Maria Adelaide Amaral
  8. A casa das sete mulheres – Letícia Wierzchowski (e todos dela, se possível! Amo a Letícia)
  9. Ostra feliz não faz pérola – Rubem Alves (acho que esse não é o melhor dele, mas foi o que eu comprei, então deixo a sugestão. Já comecei a folhear e estou gostando bastante.)
  10. Viva o povo brasileiro – João Ubaldo Ribeiro.

Bom, essa é só a primeira parte, assim que eu for lendo, coloco as resenhas aqui no blog.

Se quiserem saber mais sobre livros, super indico os vídeos da Tati Feltrin, ela é ótima!!!! E com certeza, já leu mais livros do que eu, mas eu chego lá!

Resenha – Vida Organizada, de Thais Godinho

Eu já tinha vários livros na minha cabeceira, mas quando encontrei o Vida Organizada, da Thais Godinho, não resisti e comprei de imediato. Ele acabou furando a fila de leitura e ganhou destaque durante a minha semana! Acompanho a Thais no blog há bastante tempo. Na verdade, ela foi minha inspiração para criar o Destralhando e investir em tentativas de me organizar. Através do blog Vida Organizada, aprendi muitos métodos de organização que, apesar de ainda não terem se tornado hábitos, tem mantido minha rotina organizada. Por isso, quando soube que ela estava escrevendo um livro, os olhinhos brilharam só de pensar em ter suas dicas e truques mais perto, de forma mais palpável. Por mais que eu escreva blogs, leia blogs, nada substitui a minha paixão por livros.

Enfim, comprei o livro Vida Organizada e o li em uma semana, tempo recorde para mim, considerando que como leio vários ao mesmo tempo, dificilmente acabo em menos de um mês. Mas esse também ajudou, porque além de super interessante, ele é fininho e com vários espaços de interação, que facilitam a leitura e a fixação do conteúdo. Aproveito e faço um alerta aqui que também serve para o meu livro, o 30 Primeiras Vezes: O livro, apesar de ter o mesmo título do blog, não consiste em uma compilação dos artigos postados no blog. São textos mais trabalhados, acompanhados de atividades de reflexão que orientam os leitores para a construção de hábitos para se ter uma vida mais organizada e alinhada com aquilo que nos faz bem.

Achei o livro ótimo, como não poderia deixar de ser. Principalmente porque ele não te leva a neurose por organização. A Thais faz questão de dizer que uma vida organizada não se constrói com um apego excessivo à tarefas de limpeza e organização. Ela prioriza a necessidade de se ter rotinas que se adaptam ao nosso estilo de vida, acreditando que as tarefas devam estar inseridas no cotidiano da família e não significarem sacrifício do tempo livre. Além disso, outra grande sacada da Thais é a ideia de que essas tarefas devam ser desempenhadas por todos os habitantes da casa, visto que se todos usam, todos tem a obrigação de fazer as tarefas, e não só uma pessoa.

O ponto alto do livro na minha opinião é a importância que ela dá para a criação de objetivos de curto, médio e longo prazo. A partir do estabelecimento desses objetivos, é possível orientar todos os passos que temos que dar para atingir esses objetivos, bem como encontrar um sentido para tudo o que fazemos, inclusive as tarefas básicas de cuidados com a casa. Excelente abordagem.

Enfim, não tem muito mais o que falar sobre o livro, porque a Thais já é um sucesso e tudo o que ele coloca o amor e o talento só podem resultar em coisas muito boas. Super recomendo e esse não troco nem vendo, porque, além de ter virado um dos meus queridinhos, a ideia é que ele sirva como um guia, para sempre que a coisa estiver feia, a gente corra para ele e tomo de novo o rumo da situação!

Não deixem de conferir! Disponível nas melhores livrarias.

Um ótimo final de semana e muitas leituras!