“Dibs: a procura de si mesmo” Virginia M. Axline

Dibs: a procura de si mesmo, de Virgínia M. Axline é um livro encantador e profundo, que atinge aos mais sensíveis, capazes de se interessar pelos sentimentos e aflições de uma criança. Conta a história de um menino de seis anos de idade, que por toda sua vida sofreu a negligência emocional de seus pais.  Médicos e cientistas bem sucedidos, não esperavam ter filhos no momento em que Dibs nasceu, e por essa razão, acharam que apenas suprir as necessidades básicas e trancá-lo em um quarto seria o suficiente. Encarceraram com isso o direito de ambos serem pais amorosos, ao mesmo tempo em que privaram Dibs de desenvolver-se como criança, explorando todo o seu potencial.

Em vários momentos da leitura ficamos com raiva dos pais, para só com o desenrolar da história descobrirmos que também eles foram vítimas de suas próprias frustrações. Mas sem dúvida, a vítima maior foi o pequeno Dibs, que se não fosse pelo esmero da escola em procurar uma ajuda externa, teria sido condenado a isolamento emocional e à repressão de seus talentos.

Vale a leitura como leigos, para descobrirmos as riquezas de significados das brincadeiras das crianças. Vale a leitura como futura estudante de Psicologia, que já começa a aventurar-se pelos caminhos do mundo encantador das mentes infantis. Excelente estudo de caso, excelente relato de um caso clínico, que na edição da AGIR, só deixou a desejar a tradução, por vezes um tanto confusa.

A partir deste momento, o Livroterapia sofrerá uma signitiva mudança nos seus conteúdos: Além das leituras ficcionais, escreverei aqui relatos da leitura de livros sobre Psicologia, minha nova área a partir de julho de 2012. Aguardo comentários e contribuições sobre os assuntos aqui tratados. Não farei resenhas completas de livros, mas comentários como este do Dibs, com o intuito de estimular a curiosidade dos interessados e talvez iniciar discussões a cerca da Psicologia.

As leituras obrigatórias – um prazer à parte

Mais um post intermediário. Interrompi a minha disciplina de ler um livro por vez e, por causa disso, não terminei nenhum nesta última semana! Mas, enquanto isso, algumas pinceladas sobre a leitura técnica, ou profissional, como queiram. Para a preparação das aulas e dos cursos que me aventuro a dar, preciso ler muitos livros específicos da área da administração. Normalmente são livros chatos, mas recheados de conceitos imprescindíveis para quem precisa estar aprendendo sempre. No momento tenho lido bastante sobre Empreendedorismo, em especial, Empreendedorismo Corporativo. Hoje encontrei um livro sensacional, que me entreteu durante todo o horário de almoço. Ele é didático, sem ser enfadonho, é interessante e traz muito do conhecimento empírico do autor. O título é “Empreendedor Corporativo”, de Eduardo Bom Angelo, publicado em 2003 pela ELSEVIER. Na área administrativa é difícil indicarmos bibliografia, pois as teorias evoluem na mesma velocidade em que o ambiente organizacional muda, ou seja, muito rápido. Costuma-se dizer que o tempo que leva para um livro ser editado e publicado é o mesmo para que ele fique obsoleto. Mas este, apesar de ter sido publicado em 2003, vale a pena. É extremamente útil para aqueles que procuram fazer o “algo mais” e não apenas o que lhes pedem para ser feito.

PRESCRIÇÃO: Interessante para quem acredita que se pode ir além do básico, mesmo tendo um horário a cumprir e utilizando um crachá. O crescimento no mundo do empreendedorismo não é somente para aquelas pessoas que se despreendem de tudo e partem para o negócio próprio. É também possível e estimulante para aqueles que buscam o melhor naquilo que fazem, dentro das organizações.